Saiba quem são os quatro piauienses mortos em queda de avião na serra da Ibiapada

5158
vitimas

O Corpo de Bombeiros da cidade de Sobral divulgou oficialmente a identidade das quatro pessoas mortas, sendo todas de Teresina, na queda do avião Seneca, da empresa de táxi aéreo Top Line, na noite de sexta-feira (15), na Serra da Ibiapaba, no município de São Benedito (CE).

O avião caiu no momento em que transportava o médico Pedro José Ferreira de Meneses, de Sobral (CE) para internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em hospital teresinense para tratamento de infecção por Covid-19.

PUBLICIDADE:
Ouça Rádio O melhor aplicativo e ouça qualquer emissora do Piauí, noticiários musicas, leve rápido e pratico. AGORA Também versão IOS.
BAIXE  : CLICK AQUI E BAIXE AGORA

O Corpo de Bombeiros informou que morreram na queda do avião de pequeno porte os médicos Pedro José Ferreira de Meneses, Carlo Victor Sousa Rodrigues (residente de cirurgia geral no Hospital Santa Maria), a enfermeira Samara Félix, trabalha no Hospital Santa Maria e é coordenadora do Samu Estadual e o piloto Paulo César Magalhães da Costa.

Pedro Meneses era pneumologista que contraiu Covid-19 em Sobral, onde mora e estava sendo transferido para Teresina para ficar mais perto da família durante o tratamento. Para isso, ele precisava de profissionais que auxiliassem a sua busca.

O avião  bimotor caiu em uma mata entre os sítios Santa Tereza e Meio do Topo, em São Benedito. O local é de difícil acesso e havia mau tempo no momento. Parte dos destroços pegou fogo no  local. Todos os ocupantes do bimotor morreram, segundo o Corpo de Bombeiros. Meneses atendia no Hospital Regional (HRN), em Sobral.

Enfermeira Samara Félix foi até Sobral auxiliar na transferência de Pedro
Médico Carlo Victor foi até Sobral auxiliar na transferência de Pedro
Piloto Paulo César tinha mais de 40 anos de experiência
Médico Pedro Meneses foi diagnosticado com Covid-19 e ia fazer tratamento em Teresina

Conforme o prefeito de São Benedito, o Aeroporto Regional de São Benedito não tinha informações de pousos e nem de decolagens recentes previstas para esta sexta-feira. Na queda, o avião pegou fogo.

Segundo Miguel Melo, agente de turismo que mora em uma casa nas proximidades da serra, “houve um estrondo”. “Eu desconfiei da queda porque ouvi um barulho muito forte quando ele sobrevoou minha casa. Ele estava muito baixo”, relata. Conforme ele, testemunhas se aglomeram no local do acidente.

meionorte